09 março 2012

[coração]

Não tenho coração.

Tenho apenas um buraco onde antes ele batia.
Procuro-o sentir, pousando a minha mão direita sobre ele e nada. 
Não sinto nada. Somente uma leve asfixia e um silêncio denso que escorre pelo meu peito abaixo.
Não tenho coração, segredo baixinho para mim mesma.
Quando nas noites de insónia ou trovoada encostava a minha cabeça ao teu peito e escutava o compasso do teu, sossegava e os meus olhos fechavam-se como num embalo.
O teu coração de menino pequeno segredava-me todos os medos, dúvidas e receios e eu, escutava pacientemente, com a certeza que o meu amor infinito um dia quebraria o feitiço.

[pena que nunca tivesses aninhado a tua cabeça no meu peito e escutado os segredos do meu coração transparente, feito mel e claridade…]

2 Comments:

At 9 de março de 2012 às 11:31, Blogger margens confluentes said...

O coração está lá, onde sempre esteve. Ele nunca nos abandona, nunca silencia, nunca deixa de sentir. Mas ele sabe esperar, ele sabe que tudo passa.

 
At 9 de março de 2012 às 17:24, Blogger ariana luna said...

Está tão quietinho, escondido, em silencio...
Numa total letargia, que pensei que me tivesse abandonado...
[um dia voltará a dar sinal. um dia]

 

Enviar um comentário

<< Home