13 março 2012

[caligrafia]

quero escrever-te por dentro
desordenada e delicadamente
página a página, no teu corpo em branco

escrever-te devagarinho
desenhar palavras genuínas
no teu coração em banho-maria
destilando ternura a conta-gotas
nos espinhos crescidos no meu corpo

escrever-te no dialecto do querer
conjugar o verbo descobrir na tua pele e
saborear-te vagarosamente em cada frase


[ariana luna]