08 fevereiro 2011

[esperar]


A esperança e a ilusão são provas do coração. Valem por si. Feliz de quem tem a coragem e imaginação suficientes para se iludir. Raios partam a cobardia vigente de quem tem tanto medo de se desiludir que se coíbe, logo à partida, de acreditar no que não esteja comprovado. Como no amor: corre-se o risco de falhar, de tudo perder, de sofrer. Mas que importa isso… se corre-se o risco de tudo conseguir ganhar?
[Miguel Esteves Cardoso]