27 janeiro 2010

inside

13 janeiro 2010

mar e silêncio

Naquela época eu tinha medo do silêncio e não percebia que não havia mal nenhum em ficar em silêncio a meio de uma conversa, ou mesmo em não haver conversa entre duas pessoas que vão lado a lado. O silêncio é como o mar. Envolve-nos e pode submergir-nos, se não soubermos lidar com ele, mas pode também embalar-nos, se perdermos o medo e nos deixarmos ir. Em ambos, mar e silêncio, nada pior do que esbracejar de pânico.

Rui Zink, in A Espera


[deviantART]

08 janeiro 2010

tu sabes

Pega-me tu ao colo
E leva-me para dentro da tua casa.
Despe o meu ser cansado e humano
E deita-me na tua cama.
E conta-me histórias
, caso eu acorde,
Para eu tornar a adormecer.
E dá-me sonhos teus para eu brincar
Até que nasça qualquer dia
Que tu sabes qual é.


Alberto Caeiro

[Getty Images]

05 janeiro 2010

photomaton

no dia que fiquei cego, decidi ser fotógrafo

Al Berto

[ariana luna] 2008

01 janeiro 2010

arco-íris

Sabe, as pessoas são como os arco-íris, nós nunca nos entendemos nas sete cores, se nos entendemos em três ou quatro já é muito bom…

António Lobo Antunes

[DeviantART]

[Não temos as mesmas cores. Eu tenho as minhas. Tu tens as tuas. Contrastam na escala cromática e por vezes baralhamos tudo a tentar que elas combinem. Com as minhas cores salpico o meu mundo, ora iluminado, ora com matizes mais sombrias e desconhecidas. Com as nossas cores, juntos, pintamos o céu, pintamos a manta…]