31 julho 2009

escafandro

[Amanhã é dia de bikini novo, sol, areia branca e banhos de mar. Pensei eu na santa ingenuidade. Esqueci-me por escassos momentos que vivo no Norte.
Amanhã é dia de escafandro…]

30 julho 2009

buganvília

Buganvília:
coágulo
de sangue
e maravilha.


Albano Martins, in Vocação do Silêncio


[deviantART]

[Sonho com um jardim de buganvílias e gatos a ronronar ao sol. O mundo parece-me - neste sonho - mais perfeito e real.]

29 julho 2009

stars

Todos somos pó de estrelas.

Carl Sagan


[deviantART]

[Não tenho saudades do mar. Vejo-o, escuto-o e sinto-o todos os dias. Nem de pores-do-sol mágicos. Ainda hoje caminhei sob a luz dourada de um. Nem tampouco do ar gélido da montanha. Tudo demasiado perto. Tenho é uma saudade atroz de um céu imenso polvilhado de estrelas.]

26 julho 2009

deserto

Tu não respondeste nada. Os teus olhos azuis, ainda estremunhados, o teu cabelo espalhado ao vento em todas as direcções, a tua cara de sono, de menina pequena, respondiam por ti – e, caramba, como tu ficavas bonita assim, sem precisares de dizer o que quer que fosse! Apenas a olhar em frente, como te tinha visto fazer em todos aqueles dias, no banco ao lado do meu no jipe. Tu falavas pouco e essa era uma das coisas de que eu gostava em ti. Quando tudo era bonito de mais ou duro de mais, tu ficavas calada a olhar silenciosamente.

Miguel Sousa Tavares, in No teu deserto

[deviantART]

[Não é das palavras do Miguel que mais me recordo. Deste livro pequeno, de caracteres garrafais, que se devora num trago, numa noite apenas. Não tem o cariz acutilante, mordaz, intenso ou rebuscado de outras obras suas. É apenas ele, pessoa, frágil, sensível, com saudades dum passado que não volta mais.

Mas não é disso que mais me recordo. Lembro-me com precisão fotográfica dos teus olhos muito negros e fugidios e do teu sorriso a balançar entre o tímido e o expectante ao me entregares este livro e a dizeres "Trouxe-te um presente."]

21 julho 2009

ninguém muda ninguém

Um tigre nunca muda as suas riscas.

[DeviantART]


[Uma das regras básicas de sobrevivência relacional é que ninguém (mas MESMO ninguém) muda por outra pessoa. Pode alterar alguns comportamentos durante a fase idiota da paixão, mas rapidamente assume os hábitos de sempre, entranhados até à medula. Apenas mudamos verdadeiramente por vontade própria. Não pretendo mudar ninguém. Espero que ninguém me tente mudar a mim. É uma perda de tempo e não pretendo desperdiçá-lo com algo tão mesquinho como converter uma pessoa à minha imagem. Se gostar de alguém ou quiser que faça parte da minha vida tenho que aceitar o pacote completo, com todas as suas particularidades, incluindo as que adoro, as que dispenso e (sobretudo) aquelas que não suporto de todo. Um tigre pode vestir durante alguns dias o seu melhor fato de pintas mas num ápice nos mostra que é feito de riscas.]

17 julho 2009

crème brulée

É assim que me fazes sentir. Crème brulée.
Como há muito [muito] tempo não sentia.


[Apenas conhecerás a capa dura, que custa quebrar. Apenas isso. Não imaginas como tudo cá por dentro está suave e doce...]

15 julho 2009

às vezes o amor

Aparece-nos num sorriso, num olhar fugidio, numa frase sussurrada em jeito de segredo numa qualquer noite quente de final de estação. Aparece-nos sempre quando não o esperávamos. Lânguido e sôfrego. A confundir-nos no seu modo imprevisível de ser. Como uma brisa leve, num instante de silêncio e claridade. Aparece-nos como uma revelação, num céu imenso salpicado de estrelas, sem dizer que é amor, sem dizer que é desejo. Camuflado de palavras originais, aturdido pela própria existência, estonteado por não se saber capaz de sentir novamente.

[Aparece-nos. Um dia destes.]


13 julho 2009

página em branco

O melhor da vida é que todos os dias temos uma página [imaculadamente] em branco para escrever.

[A cada dia, uma oportunidade de crescer, evoluir, corrigir erros, traçar novos caminhos.]

08 julho 2009

caminho

Eu tinha meus pés naquela parte da vida
onde não se pode ir com intenção de regressar

Dante Alighieri, in Vita Nova


[Getty Images]

07 julho 2009

[chega um dia à nossa vida]

Estranho como o sorriso de um bisturi
Íntimo como um olho sem pálpebra aberto na nossa mão.
Deslumbrante como o rumor da passagem de um unicórnio.
Fiel como a súbita seda negra do medo.
Temível como o brilho da espada de fogo de um arcanjo.
Submisso como as ondas que rebentam contra a praia de um peito.
Devastador como a clareza de um olhar num espelho quebrado.
Inevitável como a ferida feita pela chuva num coração de pedra,
o amor chega um dia à nossa vida e nós não estamos.

Abelardo Linares

[ariana luna] 2009

05 julho 2009

[ao teu lado]

Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes!
e eu acreditava.
Acreditava,
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.


Eugénio de Andrade, in Adeus

[Scarlett Johansson, fotografada por Annie Leibovitz]

[Porque continuo a acreditar num amor assim. Infinito.]

03 julho 2009

[porque cada dia é irrepetível]

[daqui]

[Para todos, um fim-de-semana memorável. Quer chova, faça sol ou esteja aquele tempinho amuado. O meu começou ontem. Em grande.]

01 julho 2009

[nossa]

A nossa noite ontem à tarde
foi a manhã por que esperávamos.

David Mourão-Ferreira


[deviantART - imagem manipulada]

caracteres

Quem tem o amigo mais querido, que escreve para mim em caracteres de madeira?

[Coisas de amigos designers, apaixonados por tipografia...]