26 junho 2009

[porque só assim faz sentido]

Deitada és uma ilha. Que percorro
descobrindo-lhe as zonas mais sombrias

Mas nem sabes se grito por socorro

ou se te mostro só que me inebrias
Amiga amor amante amada eu morro
da vida que me dás todos os dias.

David Mourão-Ferreira

[vi.sualize.us]

2 Comments:

At 26 de junho de 2009 às 08:49, Blogger Margarida Pereira said...

Imagética inebriante, de força pulsada.
Gosto desafiador.
Inspiração gotejante.
Aplauso...

 
At 28 de junho de 2009 às 21:06, Blogger Dry-Martini said...

Não morro... mas adoro a vida que me dás todos os dias .)

XinXin

 

Enviar um comentário

<< Home