18 maio 2009

adeus M.

A M. morreu. Foi encontrada pela mãe no quarto hoje pela manhã. Tinha apenas mais 3 anos do que eu. Ainda não se sabe porque morreu. Ligaram-me apenas a dizer que tinha morrido. Passei os verões e muitos fins-de-semana da minha meninice e adolescência com a M., que vivia na casa contígua à da minha prima. Passávamos os dias na praia até ao pôr-do-sol, a rir, a fazer amigos, a conversar sobre tudo, a sonhar. Conhecia a M. desde sempre. A vida foi-nos separando mas lá a encontrava de tempos a tempos e fui sabendo sempre notícias dela. A M. morreu. Tinha apenas mais 3 anos do que eu. Tinha toda uma vida para ser feliz. Tal como temos todos, mas ocupados como andamos sempre, nem nos lembramos que amanhã podemos não estar aqui. A M. morreu. Lembro-me sobretudo dos seus cabelos negros como asas de andorinha e do sorriso discreto. A M. morreu. Tinha apenas mais 3 anos do que eu. E ainda não me consigo acreditar nem sei o que sentir.

2 Comments:

At 18 de maio de 2009 às 16:13, Blogger Dry-Martini said...

Como percebo o que dizes... Infelizmente já perdi dois amigos chegados... um deles o meu melhor amigo de infância. É um "murro no estômago" e algo que nos faz parar para pensar, no quanto fugaz é a vida, no quanto pequeninos somos.

Um abraço menina. Sentido!

XinXin

 
At 20 de maio de 2009 às 07:57, Blogger Margarida said...

Como te deves sentir?

Sente que tens sorte. Que estás aqui a escrever (e ao que me parece, a viver uma vida nova)


Aproveita

 

Enviar um comentário

<< Home