29 março 2009

camélia

Existem coisas e momentos de uma beleza tão simples e arrebatadora que nos enternecem. Esta foi uma delas.

[ariana luna] Fevereiro 2009

[Camélia oferecida com um grande sorriso pelo Sr. C. – uma "espécie de avô emprestado", terno, sábio e encantador – numa manhã fria e solarenga de final de Inverno.]

27 março 2009

amoras

[Getty Images]

O meu país sabe às amoras bravas
no verão.
Ninguém ignora que não é grande,
nem inteligente, nem elegante o meu país,
mas tem esta voz doce
de quem acorda cedo para cantar
nas silvas.
Raramente falei do meu país, talvez
nem goste dele, mas quando um amigo
me traz amoras bravas
os seus muros parecem-me brancos,
reparo que também no meu país o céu é azul.

Eugénio de Andrade

23 março 2009

arco-íris

Não é todos os dias que ao sair de casa [depois de uma noite mal dormida e com vontade de voltar para a cama] me deparo com toda esta cor a irromper num céu azul.

[ariana luna] Fevereiro 2009


[Não experimentem fotografar a conduzir em auto-estrada num dia de chuva em hora de ponta. A imagem pode ficar desfocada…]

16 março 2009

hot

10 março 2009

Rubik

[Cubo Pantone - lindo, lindo. lindo!]

08 março 2009

um apetite


[ariana luna] Março 2009

[As minhas ervas aromáticas estão umas crescidas. Salpicam as minhas experiências culinárias de aromas deliciosos! Um apetite...]

03 março 2009

Freddy Krueger

1, 2,
Freddy's coming for you
3
, 4,

Better lock your door
5
, 6,

Grab your crucifix
7
, 8,

Better stay up late
9
, 10,

Never sleep again


[Durante um Verão inteirinho a minha prima deliciou-se a assustar-me nos imensos corredores da casa de praia, utilizando o meu medo pelo Freddy Krueger. Fazia ranger lâminas, colocava massa de rissóis no rosto para imitar a face queimada escondendo-se atrás das cortinas do meu quarto e trauteava esta cantilena que ainda hoje me dá arrepios. Enfim… coisas de meninas com tempo de sobra para brincar.]

01 março 2009

em todo o lado

A cidade está deserta e alguém escreveu o teu nome em toda a parte. Nas casas, nos carros, nas pontes, nas ruas. Em todo o lado essa palavra repetida ao expoente da loucura. Ora amarga. Ora doce. Para nos lembrar que o amor é uma doença, quando nele julgamos ver a nossa cura.

recitado por Vítor Espadinha na música Ouvi Dizer, dos Ornatos Violeta