21 novembro 2008

avó

Uma Avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros. As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali. Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas nem as lagartas. Nunca dizem 'Despacha-te!'. Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos. Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior. As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes. Quando nos contam histórias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes. As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo. Não são tão fracas como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós. Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó, sobretudo se não tiver televisão.

Texto escrito por uma menina de 8 anos e publicado no Jornal do Cartaxo


[Sabes Avó, nunca amei ninguém como te amo a ti. Continuas – apesar de já não estarmos juntas vai para 7 anos – a ser a pessoa que melhor me conhece e que me acolhe nos braços fortes de mulher delicada e frágil. Continuas a ser a matriarca da família, a sorrir com o teu sorriso de menina e o olhar-me com os teus olhos sábios e ternos. Sabes Avó, às vezes sinto-me perdida e continuo a correr para ti para sossegar a minha tristeza. Continuas a ensinar-me tudo acerca da ternura, das flores, da lua e dos bichos e eu continuo a ler-te durante horas porque os teus olhos deixaram de ver as coisas deste mundo. Tenho muitas saudades tuas, apesar de te sentir todos os dias minha Avó.]

3 Comments:

At 22 de novembro de 2008 às 16:40, Blogger @na said...

engraçado, ainda ontem me lembrei da minha avó, ainda comecei um post, mas acabei por o arquivar. :)

 
At 22 de novembro de 2008 às 23:18, Blogger miak said...

Sinto o mesmo com o meu avô. Por vezes ainda tenho o reflexo de lhe telefonar. Depois lembro-me que já só posso falar-lhe com o coração e os sonhos.

 
At 24 de novembro de 2008 às 16:17, Anonymous Anónimo said...

Emocionei-me com este post!
Sempre pensei que as avós eram eternas e não morriam nunca, até "perder" pela 1ª vez uma avó, há quase 1 ano..
É uma saudade tão grande, que só é apaziguada porque às vezes consigo vê-la, quando fecho os olhos e vejo p'ra dentro!

 

Enviar um comentário

<< Home