08 abril 2008

infância

Hoje não quero ser grande.

Quero voltar a ser pequenina
a ter sonhos tranquilos
a adormecer nos teus braços
a sentir a ternura do teu olhar
a acariciar as tuas mãos sulcadas pelo tempo

a comer torradas cheias de manteiga com cevada

Quero voltar a ser pequenina
a ter nos meus olhos todos os sonhos do mundo
a correr descalça pelos campos com as primas
a tomar banho no ribeiro ao fim da tarde
a fazer colares de flores para o cabelo

Quero voltar a ser pequenina
a sentir o aroma a alfazema nas gavetas
a admirar os teus vestidos de avó-princesa
a escutar atenta tudo o que me ensinavas
sobre as flores, os bichos, a lua e as marés
a desconhecer palavras como saudade e tristeza


Quero voltar a ser pequenina
para te ter à minha beirinha para sempre
e dizer que te amo todos os dias


[ariana luna]

[DeviantART]

[Hoje um sonho menos bom faz-me ter vontade de voltar a ser pequenina.]

6 Comments:

At 8 de abril de 2008 às 16:10, Anonymous Anónimo said...

"Ser grande" é uma chatice mesmo! Principalmente quando se teve uma infância tão feliz.
Fizeste-me lembrar que também eu fazia colares de flores:) que doce lembrança!

Ah! E diz que a amas todos os dias, ela ouve-te mesmo que não esteja presente.

 
At 8 de abril de 2008 às 22:26, Blogger Rui said...

Muito bom texto! Muito mesmo...

 
At 8 de abril de 2008 às 23:12, Blogger Pedro Viegas said...

E faz-nos imensa falta sermos pequeninos de vez em quando e ver o mundo com outros olhos.
E deixar cair a cabela no regaço para um afago.

Belas recordações.
Um Xi

 
At 9 de abril de 2008 às 22:23, Blogger Dry-Martini said...

De criança e de loucos todos temos um pouco (e às vezes tão pouco). Cultive e estime sempre esse seu lado de criança .)

XinXin

PS: Adoro a espressão "à beirinha" sabia?

 
At 9 de abril de 2008 às 23:10, Blogger Pedro de Payalvo said...

...vês? és uma ternura, mesmo assim, já crescida...

 
At 14 de abril de 2008 às 01:13, Blogger REFLEXOS said...

Pena que o sonho que te trouxe a inspiração seja menos bom. Volta a ser pequenina, e agarra os sonhos que sabes tão bem partilhar. Se possível sopra-os pelo ar (pode ser por e-mail, por sms, por "blog,) na forma de prosa ou de poesia (que não faço ideia o que seja, mas tenho quase a certeza que existe) desde que partilhes a consciência das pérolas geradas na tua imaginação.
(P.S.: e se puderes avisar para não perdermos, melhor ;-)))

 

Enviar um comentário

<< Home