31 março 2008

quero

Rir-me contigo. Hoje.
Ao acordar.
À gargalhada.
Amanhã. Sempre.


[ariana luna] algures, 2007

30 março 2008

gourmet

Segui o bom exemplo da BC e semeei várias ervas aromáticas para personalizar as minhas experiências culinárias.
Mas quando se faz alguma coisa, há que a fazer em grande estilo! Vai daí, utilizei estes recipientes apropriados para o efeito da
Eva Solo.
Um apetite, é o que vos digo!
Dentro de uns meses, terei os vizinhos a pedir raminhos da salsa [para perfumar], orégãos [para o tomate com mozzarella], manjericão [para o pesto] e coentros [para as saladas coloridas].


28 março 2008

under my skin

Trago-te debaixo da minha pele. Apanhaste-me desprevenido. Atingiste-me o coração, pecado meu. E agora é tarde para tudo senão para escrever. O teu coração tão branco a bater perto de mim. Embora o não ouvisse sei que estava lá.

Pedro Paixão, in Ladrão de Fogo


[Getty Images]

brinquedo novo

Ontem, recebi de forma inesperada, este presente.
Por alguém que fará sempre parte da minha vida.
Por alguém que o ofereceu pela importância que tive e tenho na vida dele.

[Será a minha companhia – o iPod – nas minhas corridas pela marginal…]

jump

Jump!
But jump with your eyes open!*


[Getty Images]


* do filme Feast of Love

27 março 2008

Portishead

Sublime.

Dizer que foi bom era redutor. Que foi memorável era simplista.
Foi… assim a modos que… sem palavras. Ou como diz um grande amigo, foi "p’ra cima de um balúrdio" de tudo o que possam imaginar.

Foi realmente bom assistir, depois destes longos anos de jejum do público, ao primeiro concerto da digressão deste grupo mítico. Para mim, foi o espaço e o tempo para recordar, sorrir e partilhar.

Fechei os olhos e estava na faculdade a fazer directa para entregar um projecto de design com o A. e a cantar Portishead, Massive Attack e Jay-Jay Johanson para enganar o sono. Ou na Zambujeira do Mar em 98 a vê-los a eles e à P.J Harvey com os amigos. Fazem indubitavelmente parte da banda sonora da minha vida.

Beth Gibbons extasiou com a sua voz cristalina e todo o grupo imprimiu uma dinâmica e uma sintonia únicas, naquele ambiente mágico que envolve o som dos Portishead. O próximo álbum Third, prometido para 14 de Abril, parece imperdível!...

26 março 2008

dizem que sim

Esquecer uma mulher inteligente, custa um número incalculável de mulheres estúpidas.

António Lobo Antunes

dias úteis

Por pretextos talvez fúteis
a alegria é o que nos torna os dias úteis
Por motivos talvez claros
o prazer é o que nos torna os dias raros

Por pretextos talvez fúteis
Por motivos talvez claros

Sérgio Godinho


[Getty Images]

25 março 2008

adn

Segundo consta, o corpo humano é constituído por 52 triliões de células.

[Getty Images]

[Com tantas para brincares, tinhas logo que te querer infiltrar nas da memória…]

vertigem

as tuas mãos como dois peixes no meu corpo
o olhar que se escapa por entre a noite
as palavras atiradas ao acaso
novos sentidos reanimados dentro de mim
um nó na garganta ao toque
dos dedos entrelaçados em segredo


a luz que fluía do abraço
que me arrancou paz sei lá de onde
a surpresa de me sentir leve, flutuante
a tua voz espalhada nos meus cabelos

um dia inteiro que não cabe no calendário
a pele cor de riso e de verão
aquele mar que me inunda o espírito

o cansaço como hipnose em nossos olhos
que se fecham para avistar mais longe

a vertigem de um despertar sem nódoas
o fogo que saía dos nossos dedos...


ariana luna

24 março 2008

perspectivas

Quando o sábio aponta a lua,
os idiotas olham para o dedo.

Provérbio Tibetano


[ariana luna] Julho 2007

soube-me a pouco

Com um brilhozinho nos olhos
dissemos, sei lá
o que nos passou pela tola
[o que nos caiu no goto]

do estilo és o number one
dou-te vinte valores
és um treze no totobola
[és o seis do meu totoloto]

e às duas por três
bebemos um copo
fizemos o quatro
e pintámos o sete

e com um brilhozinho nos olhos
ficamos imóveis
a dar uma de tête a tête

Sérgio Godinho

o mar

Olhando o mar, sonho sem ter de quê.
Nada no mar, salvo o ser mar, se vê.
Mas de se nada ver quanto a alma sonha!...


Fernando Pessoa

[ariana luna] Paraíso Secreto algures no Norte, Março 2008

21 março 2008

miracle

No meu jardim, a Primavera presenteia-me e emociona-me através da delicadeza e da força da vida.

[ariana luna] Março 2008

[Na natureza, assim como na vida, após um longo Inverno, a Primavera mostra-nos que tudo se renova e volta a florescer. E nada é mais poderoso e surpreendente do que uma nova vida!...]

19 março 2008

moleskine

Ontem olhei para a pilha de livros sobre a mesinha de cabeceira e contei onze.
Onze livros a cheirar a papel novo e a tinta fresca, prontos para passear pelos meus dedos, para serem sorvidos, para devorar nas noites mais longas que os meus dias.

Olhei demoradamente para todos, escolhidos um a um, tão diferentes entre si e com um único denominador comum, o meu olhar sobre eles.
Retirei três da dita pilha, li a primeira frase [o momento crucial da minha escolha] de cada um deles e não senti qualquer vontade de iniciar a viagem ao interior daquelas palavras.


[ariana luna] Março 2008


[Acariciei o meu moleskine - companheiro inseparável - e dentro dele, entreguei-me a escrever como se não houvesse amanhã…]

18 março 2008

prato do dia

[Getty Images]

[Bom dia, para mim hoje vai ser um cappuccino, massagem e um poema sussurrado ao ouvido. Sim, por enquanto é tudo, obrigada. Se pretender mais alguma coisa, eu chamo-o.]

17 março 2008

pim pam pum

Era tudo mais fácil. É tudo mais fácil quando não temos escolha. As escolhas fodem-nos a vida, é o que vos digo. Uma pessoa tem que decidir. Vou por ali ou por aqui. Faço, não faço. Compro. Não, desculpem lá. É melhor não ter grandes dúvidas.
Aqui.
Bem melhor.

Rodrigo Guedes de Carvalho, in Canário


[ariana luna] Setúbal, Agosto 2005

14 março 2008

síntese

Verão 2007

Por favor, não me analise
Não fique procurando cada ponto fraco meu.
Se ninguém resiste a uma análise profunda,
Quanto mais eu...
Ciumento, exigente, inseguro, carente
Todo cheio de marcas que a vida deixou
Vejo em cada grito de exigência
Um pedido de carência, um pedido de amor.

Amor é síntese
É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr
Não me corte em fatias
Ninguém consegue abraçar um pedaço
Me envolva todo em seus braços
E eu serei o perfeito amor.

Mário Quintana

13 março 2008

carpe diem

Life is what happens to you while you're busy making other plans.
Jonh Lennon


Óbidos, Setembro 2007

11 março 2008

o céu

Um dia destes mostro-te o céu.

[Getty Images]

o amor acontece...

Quando for grande, levo a minha namorada para o cimo daquela serra, monto uma tenda para dormirmos e de manhã mostro-lhe o nascer do sol. Depois dou-lhe o pequeno-almoço: morangos com chocolate.
Mike, 11 anos


[Esta pérola foi encontrada aqui]

[Getty Images]


[Homens da blogosfera, confessem-se! Admitam que não sabem mais que um miúdo de 11 anos.
Entretanto se encontrarem por aí um Mike disponível com (pelo menos!) mais 20 anos do que este, avisem, sim? Não é para mim, claro! Mas certamente que uma das minhas amigas não se importará de comer morangos com chocolate no cimo da serra a ver o nascer do sol…]

10 março 2008

pelo sonho...

Pelo sonho é que vamos,
comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não haja frutos,
pelo sonho é que vamos.
Basta a fé no que temos.

Sebastião da Gama


[ariana luna] Julho 2007

07 março 2008

a cinquenta e tal graus

quero reconhecer-te
e beber um café
dizer-te de onde venho
e perguntar-te porquê
sorrir-te cá do fundo
e subir os degraus
eu quero dar-te um beijo
a cinquenta e tal graus


sempre apanhaste o tal comboio
eu já perdi dois ou três
entre o ócio e as esquinas
ganhei o vício da estrada
nesta outra encruzilhada
talvez agora a coisa dê
o passado foi à história
cá estamos nós outra vez
cá estamos nós outra vez...

Jorge Palma

06 março 2008

saber escutar

Mais do que o direito a falar, muitas vezes temos o direito de calar. Ou melhor, o dever de não dizer toda a nossa verdade. Guardar para nós aquilo que sabemos e ir dizendo à medida em que o outro dá sinais de que é capaz de ouvir é um exercício de sabedoria e maturidade.

Laurinda Alves, Revista Xis – Jornal Público, Setembro 2006


[Getty Images]

04 março 2008

memórias

Aproximo-me todos os dias um pouquinho mais de mim.
Seduzo-me, inebrio-me, provoco-me, absolvo-me, surpreendo-me.

Estou [talvez pela primeira vez, seriamente na minha vida] a conceder-me a oportunidade de percorrer cada corredor do meu pensamento.
A abrir cada porta fechada e a olhar nos olhos cada fantasma emparedado na minha mente. A descobrir cada página arquivada na minha memória, que nem sequer sabia que existiam.

A separar o trigo do joio.
A arrumar cada prateleira pela ordem aleatória da minha vontade.
A rir de mim própria. Às gargalhadas. Das inseguranças e das certezas absolutas.

A desconstruir-me, a esmiuçar-me, a dissecar-me os sentidos.
A não ter a pretensão de querer compreender tudo, mas a querer sentir tudo.
A aprender a não levar a vida demasiado a sério.


[ariana luna] 2007

[A não contemplar o passado, a não desejar o futuro.
A viver o presente, pois cada segundo é irrepetível.
]

03 março 2008

ariana

Um homem labiríntico nunca procura a verdade, mas apenas a sua Ariana.
Friedrich Nietzsche


[O Nietzsche deveria saber do que falava.
Pois é bebé… Ariana só há uma.
]

01 março 2008

out to get you

Não são os olhos que fazem ver o homem,
mas ao contrário o homem que faz com que os olhos vejam.
Paracelso


[Getty Images]


[Ontem adormeci com esta música]