27 fevereiro 2008

apaixonadamente

Entrou no café habitual e só parou quando estava à sua frente. Disse-lhe que havia meses que o perseguia só para estar perto dele. Que ele era o ser mais perfeito que alguma vez tinha encontrado. Que o coração doía-lhe quando não o encontrava ali. Que sonhava dormir com ele. Que era paixão o que sentia por ele.

Ele pegou na mão dela. A sua segurança aterrorizava-o. Mas não conseguiu deixar de amá-la naquele exacto momento. Foram juntos embora. Nesse dia e nos seguintes. Tornaram-se inseparáveis. Até um dia de manhã em que ele reparou que ela não levava a aliança no dedo. Nesse mesmo dia encontrou-a a beijar um homem no parque onde tantas vezes tinham almoçado juntos.

Foi calmamente para casa esperar que ela chegasse. Entrou na cozinha, pegou numa faca do faqueiro que lhes tinha sido oferecido como presente de casamento e sentou-se no maple do quarto à espera dela.

Teresa Sá, in revista Attitude #19


[Teresa Sá]

2 Comments:

At 28 de fevereiro de 2008 às 13:53, Blogger sofialisboa said...

triste...sofialisboa

 
At 28 de fevereiro de 2008 às 17:58, Blogger Dani said...

Laços. O amor é eterno, enquanto dura.

Beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home