28 janeiro 2008

bolotas

Não via bolotas fazia bastante tempo.
Lembro-me de lhes achar imensa graça quando era ainda uma menina reguila. Gostava da forma macia, da cor quente e do chapelinho característico.
Recordo com ternura o carvalho enorme [talvez nem fosse assim tão grande, mas a mim parecia-me gigantesco] bem lá no fundo do quintal imenso [talvez não tão imenso, mas a mim parecia-me interminável] da minha avó.



[ariana luna] Parque Natural das Serras D'Aire e Candeeiros, Janeiro 2007

[Encontrar estas bolotas no meio da serra, foi reencontrar a menina reguila, intrépida, de olhar observador e de coração repleto de alegria.]

5 Comments:

At 30 de janeiro de 2008 às 13:41, Blogger helena zália said...

Um óptimo ano pra ti também. Obrigada!
As bolotas também me trazem recordações de infância e, ainda um dia destes enquanto passeava também encontrei algumas e não resisti levá-las pra casa. Têm uma forma magnífica!
:*)

 
At 30 de janeiro de 2008 às 14:45, Blogger Zé Carlos said...

Ola, descobri o teu blog, como muitas vezes acontece, saltando entre blogs. Mas demorei-me no teu, já li algumas páginas e gostei muito, desde a escolha das imagens aos textos, principalmente ao carinho com que falas da tua avó :)
É um blog a regressar com mais tempo para poder apreciar devidamente. Um bom resto de dia e de semana.
Bjinho

 
At 30 de janeiro de 2008 às 18:03, Blogger Rosa said...

Believe it or not, neste fim-de-semana estive a passear num parque com a minha sobrinha, e a mostrar-lhe... bolotas! :)
Beijinhos, linda.

 
At 2 de fevereiro de 2008 às 18:24, Blogger Thiago Oshiro said...

Mto interessante o blog, cheio de imagens e signifados. O Visitarei mais vezes.
Parabéns mesmo.

 
At 29 de fevereiro de 2008 às 12:00, Blogger Pedro de Payalvo said...

lembro-me de ter uma vontade daquelas de lhes tirar o chapéu, mas resistia sempre porque sabia que depois já não se segurava...

 

Enviar um comentário

<< Home