20 junho 2007

transparência

Transparência [Primeiras experiências fotográficas], ESAD, 1995

Quero voar. Para tão longe que nem eu própria me encontre.

[Tudo porque hoje um sonho mau me lacerou as feridas que julgava cicatrizadas.]

5 Comments:

At 20 de junho de 2007 às 12:23, Blogger pp said...

Então é porque não estão cicatrizadas.
No entanto, na minha opinião, fugir de ti mesma não será o melhor remédio.
Exorcisa o teu silencio e lambe as feridas, estou certo que depois da tempestade virá o bom tempo...
Bijou

 
At 20 de junho de 2007 às 16:31, Blogger Xuinha Foguetão said...

Não deixes que esse sonho mau vença.

Leva o tempo que precisas para curares verdadeiramente essas feridas.
Dá-lhes o tempo que elas precisam para cicatrizar e desaparecer.

Mas não fujas.

Beijos grandes

 
At 20 de junho de 2007 às 21:14, Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

 
At 21 de junho de 2007 às 09:11, Blogger Margarida Atheling said...

Tão bonita a fotografia! :)

Não te deixes abalar por um sonho porque os sonhos não são mais do que isso mesmo: apenas sonhos, que se esfumam ao acordar.

E fugir não adianta. Todos temos alturas em que sentimos esse impulso, podemos até segui-lo mas depois descobrimos, ofegantes, que não podemos fugir de nós mesmos. Enfrenta! Tudo se cura!

Bjs!

 
At 21 de junho de 2007 às 09:38, Blogger Dani said...

Mas como era apenas um sonho mau, esfrega os olhos, e ao acordares vais ver que não passou disso mesmo. Um sonho mau.

Beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home