18 junho 2007

home

Setúbal, Agosto de 2005

Depois de muito tempo a tempestade deu lugar à acalmia. O nevoeiro cerrado começa agora a deixar-me ver mais nítido. A chuva intensa deixa entrever um céu com menos nuvens. O vento traiçoeiro que outrora tanto me fustigou, sopra agora noutras paragens.

Será difícil [eu sei] deixar que alguém se atreva a abrir a porta.

Cá dentro a casa começa a ser caiada. Falta ainda escolher todas as cores para que se torne num lugar único, tranquilo, aconchegante. Feita de pequenos gestos, de olhares cúmplices, de sorrisos corajosos, de mãos dadas em segredo, de palavras inadiáveis, de partilha de tudo e de coisa nenhuma, de dores e de alegrias supremas.

Uma casa de gente e de memórias intocáveis. Daquelas que apetece guardar, protegidas de todas as intempéries.

3 Comments:

At 18 de junho de 2007 às 09:33, Blogger pp said...

Depois da tempestade vem sempre a bonança...

Beijinhos

 
At 18 de junho de 2007 às 12:27, Blogger Alf said...

Grande foto.

 
At 18 de junho de 2007 às 19:30, Blogger Rosa said...

O tempo, esse grande macaco... :)*

 

Enviar um comentário

<< Home